23 de janeiro de 2009

Poesia não feita

Não sei fazer poesia
Apenas admiro as pequenas coisas da vida
Assim como também o faz um poema
Que em leves palavras
Flutuando por meus ouvidos
Aliviam dores e reacendem esperanças.

Enquanto tudo acontece, na simplicidade dos seus pensamentos.
Encontro meu coração, minha beleza e meu lugar
Encontro também a reflexão
As lágrimas escorrem por algum lugar aqui dentro
Tão perdidas quanto eu

A confusão instaurada entre a vida e a entrega
Entre a estrada e o acolhimento
Ah! Senhor! O que fazer?
Como saber se estou certa ou apenas enganada pelo desejo?
Como gostaria de sentir todos os sorrisos em mim
Dissipar dores, amparar lágrimas inocentes e viver tudo em apenas uma vida
Ser tudo apenas em um templo, um espaço

Um comentário:

Ane disse...

"As lágrimas escorrem por algum lugar aqui dentro
Tão perdidas quanto eu..."
Lindas palavras de quem dizia que não sabia escrever subjetivamente...rsrs
O importante é que a gente saiba até que ponto estas lágrimas podem se manifestar em nós...e até que ponto ficar perdida já não se tornou um martirio...
Tb me sinto assim, mas o que temos a fazer é tirar o maior proveito de tudo das coisas boas e ruins...
E que as ruins tenham seu tempo determinado...
Pq Deus nos fez perfeitos e com todas as ferramentas para sermos felizes...alguns terão de trabalhar mais outros menos para se sentir bem, mas o importante é continuar na luta!
Podemos fazer mais do que isso...não tenho dúvidas!!!