21 de agosto de 2009

1,2,3...rodando! Rodando, não...Ródando...






Há exatamente 20 anos, a geração paz e amor presenciou o calar de uma das vozes mais expressivas da chamada contracultura rebelde. Paradoxalmente, os jovens daquela época pediam paz, através dos gritos do rock and roll.
Assim também fazia Raulzito, apesar das críticas ao seu não engajamento, o baiano roqueiro cantou os sonhos daquela geração. Suas letras traduzem o espírito livre e despojado, ironizam as relações e atitudes da sociedade conservadora da época. Raul falou de amor, desigualdade, justiça, misticismo, religião...Viveu tudo em apenas sete notas!
Hoje, os gritos de liberdade ainda ecoam pela geração pós-Raul. Mesmo os fãs que nasceram após a morte do maluco beleza, vivem o sonho da Sociedade Alternativa. É impossível tentar racionalizar o que Raul trazia dentro de si. Como explicar a repulsa à inércia dos ditos cidadãos respeitáveis, que se sentavam nos tronos dos apartamentos, esperando a morte chegar? Ou então, a recusa de viver essa realidade e a vontade de pegar carona em algum disco voador e habitar o infinito e suas estrelas?
Não consigo explicar, o por que de minha identificação com letras, que foram escritas muitos anos antes de meu nascimento. Às vezes, a razão das palavras nos impede de explicar o que faz nosso coração bater mais forte. Por isso, fico por aqui!

2 comentários:

Blog do Hermann disse...

Olá querida Micheli

Não saber explicar Raul é igual não sabermos a identificação que temos com as estrelas. Nunca saberemos a resposta, mas dentro de nosso coração, tanto as estrelas como o Maluco Beleza nos permitem viver firmes no mundo da mágia.

O atemporal compositor conseguiu de forma simples, porém indireta mexer com nosso espírito e nos faz questionar o nosso papel aqui na Terra. Suas canções nos fazem oscilar entre o subjetivo e o objetivo de forma crítica e também, nos permite viajar pelo insigne orbe das idéias.

E VIVA RAULZITO !!!!

João Luis Pinheiro disse...

O que dizer sobre Raul? Ele era político sem nunca ter levantado uma bandeira; era místico sem se prender a nenhuma religião. Era um apaixonado pela vida e suas canções são imortais. E muito mais...

VIVA RAUL!